14 de jun de 2006

Fala Nélida ...

.

A arrogância do inaugural é mais danosa para a juventude do que o desinteresse em ler?
Nélida: Nós estamos vivendo mudanças dramáticas na história. Até que ponto a juventude está afetada por um desalento que é grande e justificável? Afinal, vão respeitar a quem? A esses políticos incompetentes, que parecem todos iguais? Vivemos a falta utopia, de sentimento utópico, a falta de fantasiar a realidade que não seja por meio da droga. Fantasiar é lidar com os recursos humanos, fazer com que eles se expandam. É ficar dentro do círculo humano e não alienar-se do humano, como se faz com as drogas. Há hoje uma noção da falsa prosperidade, do falso modismo, que não atinge só o jovem, mas a todos. Os nossos valores estão abalados. O humanismo está recebendo chicotadas. Corremos o risco de reproduzir certos países em que é comum evitar-se qualquer laço afetivo com o colega de trabalho porque você sabe que vai ter de inevitavelmente atropelá-lo. Os EUA, por exemplo, são uma sociedade erguida sob valores anti-humanitários. Vivemos hoje a valorização do banal, o ataque ao pensamento, à reflexão, à boa angústia, que todo mundo tem de ter. Que falsa euforia é essa em que ninguém tem responsabilidade com a sua própria história individual? Você anda pelo mundo como se não fosse adequado refletir sobre a condição humana. Mas é preciso refletir, ter densidade, angústia, que é o ato de sonhar e de conhecer a ascensão e a queda.
.
(Parte da entrevista com Nélida Piñon na Revista Língua Portuguesa)

2 comentários:

Erika disse...

Oi amiga, desculpa pelo sumiço, mas final de semestre na faculdade e na escola, imagina, né? E a sua menina, melhorou? Espero que sim. Tenho desencontrado de vc no msn, podíamos marcar de conversar... Beijokas. Seu blog tá demais, depois volto com mais calma para ler melhor.

Anna D' Castro disse...

Leo querida, como vc está? Ainda dodoi? Estive um tempão sem poder acessar a NET, mas agora estou aqui visitando os blogs dos meus amigos... Este teu está demais. De vez em quando passo lá no teu Recanto das Letras, mas está em stand by... Faço votos para que Deus te esteja ajudando querida, pq todos nós precisamos de ler os teus poemas, sempre tão cheios de amor.
Dos fracos não reza a História e Nélida Piñon é uma voz forte desde sempre. Parabéns por escolheres esta matéria para o teu blog.
Te convido quando puderes a me visitar aqui no Blogspot e no Recanto, tenho colocado lá umas coisas, pois o orkut está me incomodando com a história dos vírus.
Faz uma visitinha e deita teus comentários. Te quero muito bem, querida, desejo q/as melhoras sejam rápidas.
Um beijão
Anna