9 de jul de 2006

Pré-história

Matisse
.
.
.
Pré-história
.
.
Mamãe vestida de rendas
Tocava piano no caos.
Uma noite abriu as asas
Cansada de tanto som,
Equilibrou-se no azul,
De tonta não mais olhou
Para mim, para ninguém!
Cai no álbum de retratos.
.
.
Murilo Mendes
.
.

3 comentários:

Julie disse...

Por onde andam tuas poesias?
Boa semana!
Beijinhos pra voces

Burtonesca disse...

As vezes, dentro do meu ostracismo, penso que tb vou cair no limbo do esquecimento...de vez!

Agora, concordo com a Julie, cadê seus versinhos????


Beijos!

marcos pardim disse...

Oi, Leonor. Tempo de menos, trabalho e correria (de)mais, mas sempre bom passar por aqui. Tudo tão delicado. Tudo tão generoso. Tudo tão bem cuidado. 1 beijo