12 de nov de 2007

( Álvaro de Campos)

.
.
.
Minha dor é velha
Como um frasco de essência cheia de pó.
Minha dor é inútil
Como uma gaiola, numa terra onde não há aves,
E minha dor é silenciosa e triste
como a parte da praia onde o mar não chega.
.
Álvaro de Campos
(Obra Poética , Editora Nova Aguilar, p. 406)
.
.

Nenhum comentário: