10 de fev de 2008

Isto

,

Retrato de Fernando Pessoa - 1954
Museu da Cidade, Lisboa, Portugal
.
.
.
ISTO
.
Dizem que finjo ou minto
Tudo o que escrevo. Não.
Eu simplesmente sinto
Com a imaginação.
Não uso o coração.
.
Tudo o que sonho ou passo,
O que me falha ou finda,
É como que um terraço
Sobre outra coisa ainda.
Essa coisa é que é linda.
.
Por isso escrevo em meio
Do que não está ao pé,
Livre do meu enleio,
Sério do que não é.
Sentir? Sinta quem lê!
.
Fernando Pessoa
Fernando Pessoa - Obra Poética
Editora Nova Aguilar, p. 165
.
.

3 comentários:

Anônimo disse...

Lindo poema, ótima escolha .
Abraços !
Vânia

Evelyne Furtado disse...

E como sinto... Adoro Pessoa e adoro você! Obrigada pela visita ao Recanto, querida.
Beijos

musqueteira disse...

grande Pessoa!... eis aqui hoje em Lisboa de almoço marcado no Martinho D'Arcada. era o seu café... onde escrevia em papeis diversos seus versos!