13 de nov de 2008

Compartilhando ...

Terminei de visitar os blogs que participaram da blogagem coletiva “HOJE É DIA DE CECÍLIA!”. Minha alegria é imensa, percebi que esse grupo compôs um verdadeiro cântico de amor para Cecília Meireles.
Também fiquei encantada quando lendo os comentários, encontrei vários visitantes que conheceram Cecília através da nossa blogagem.
Em seguida, vou compartilhar com vocês dois relatos que encontrei entre os 165 blogs participantes. Esses relatos testemunham a qualidade e afetividade presente em todos os blogs que se uniram nessa grande festa.
.

.

Se Cecília desse uma olhadinha nas postagens da nossa blogagem coletiva, se encantaria com uma professora chamada Iracema.
Dona Iracema era igualzinha a professora que Cecília descreveu em várias de suas crônicas.
Se para Cecília "educação era botar dentro do indivíduo, além do esqueleto de ossos que já possui, uma estrutura de sentimentos, um esqueleto emocional. O entendimento na base do amor." Para Dona Iracema também !
Se para Cecília "o educador não é o burocrata que vai à escola como a uma repartição,limita a sua atividade de funcionário a meia dúzia de horas diárias, e respeita o prestígio das autoridades: é a criatura construtora de liberdade e progresso harmoniosos, que, vivendo no presente,está sempre investigando o futuro, porque é nesse futuro, povoado de promessas de vida melhor, que o destino de seus discípulos se deverá realizar com toda a plenitude." Para Dona Iracema também !
Se para Cecília os educadores são donos de uma infinita esperança. Para Dona Iracema também !
Quem me apresentou essa professora ceciliana foi uma de suas alunas, a Herica do blog
FRAGMENTOS:
.

Ou isto ou aquilo
.

. Ou se tem chuva ou não se tem sol,
ou se tem sol ou não se tem chuva!
.

Ou se calça a luva e não se põe o anel,
ou se põe o anel e não se calça a luva!
.

Quem sobe nos ares não fica no chão,
Quem fica no chão não sobe nos ares.
.

É uma grande pena que não se possa
estar ao mesmo tempo em dois lugares!
.

Ou guardo dinheiro e não compro doce,
ou compro doce e não guardo dinheiro.
.

Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo...
e vivo escolhendo o dia inteiro!
.

Não sei se brinco, não sei se estudo,
se saio correndo ou fico tranqüilo.
.

Mas não consegui entender ainda
qual é melhor: se é isto ou aquilo.
.

Meu primeiro contato com o mundo de Cecília Meireles aconteceu quando estava no 3º ano do primário. Minha professora era fã incondicional da poetisa e nos mostrou o poema acima. Com 8 anos não entendi nada e achei uma poesia sem sentido. Mas Dona Iracema insistiu comigo e me trouxe o "Colar de Carolina"
.

Com seu colar de coral,
Carolina
corre por entre as colunas
da colina.
.

O colar de Carolina
colore o colo de cal,
torna corada a menina.
.

E o sol, vendo aquela cor
do colar de Carolina,
põe coroas de coral
nas colunas da colina.
.
.

Não sei o que deu em mim, lembro que me senti como em uma montanha-russa subindo e descendo no ritmo do poema e lembro que fiquei literalmente mareada (gente sugestionável é o Ó). Nova tentativa e ela me trouxe "A Bailarina"
.
Esta menina
tão pequenina
quer ser bailarina.
.

Não conhece nem dó nem ré
mas sabe ficar na ponta do pé.
.

Não conhece nem mi nem fá
mas inclina o corpo para cá e para lá.
.

Não conhece nem lá nem si,
mas fecha os ohos e sorri.
.

Roda, roda, roda com os bracinhos no ar
e não fica tonta nem sai do lugar.
.

Põe no cabelo uma estrela e um véu
e diz que caiu do céu.
.

Esta menina
tão pequenina
quer ser bailarina.
.

Mas depois esquece todas as danças,
e também quer dormir como as outras crianças.
.

Amei!!! FINALMENTE consegui entender sua leveza e musicalidade.Dona Iracema foi minha grande incentivadora à leitura. Ela percebeu que eu gostava de ler e me presenteou com vários livrinhos da Edições Ouro. Nem sei se ainda existem, mas eram livros de bolso com estórias leves e estimulantes. Por conta disso tinha uma coleção respeitável desses livros. Mais tarde comecei a colecionar a Coleção Vagalume da Editora Ática, quem nunca precisou ler O Caso da Borboleta Atília ou O Escaravelho do Diabo no ginásio?
Bom, ela me deu o livro Ou Isto ou Aquilo e eu lembro de ter ficado dias e semanas dormindo com o dito debaixo do meu travesseiro pra ver se decorava os poemas que estavam ali escritos =p Técnica besta que eu li não lembro onde e sempre utilizava antes das provas. Claro que nunca deu resultado se eu não pegasse os livros pra estudar de fato.
.

A segunda postagem é uma carta escrita por Lizzie, do blog Doces Deletérios :


Querida Cecília,


Não sei onde te encontras, mas sei que estás bem. Há quem diga que já não existes, mas o engano é imenso: os poetas são eternos.
Disseste certa vez que a canção é tudo¹ [pelo sangue eterno e asa ritmada?]. Pois digo que por aqui as canções e os versos já andam esparsos, não se confundem mais. O versejar continua leve e o cantar ritmado, porém, as aspirações humanas estão dando voltas n’uma montanha russa. Tu bem sabes, o homem é o que faz de si. Mas de não saber que faz ele desfaz.
Tua poesia continua n’o encanto e tua vida n’a vida de tantos. Precisava te dizer que eu também não tinha este rosto de hoje², assim calmo, nem as mãos frias. Talvez nós estejamos todos n’um mesmo barco, tentando incansavelmente recuperar a sensibilidade perdida, os cacos da beleza conjunta. Continuamos gritando com palavras as nossas sedes e nossas alegrias. E devo te dizer que nada é em vão, nunca foi.
A literatura é um diálogo que não cessa nunca. Tua vida, Cecília, é o sempre.
Mando a carta como abraço, em comemoração ao teu aniversário de nascimento. Acredito que não te importes com o atraso, visto que agora tens a idade do pulsar da vida.
.

Atenciosamente, Lizzie P.
.

¹ Cecília in ‘Motivo’

² Cecília in ‘Retrato’

8 comentários:

Elcio Tuiribepi disse...

Bom dia Leonor, acabei de encontrar uma lista enorme...rsss...assim que der vou postar ok...agora vou fazer um trabalho...rsss...valeu viu!! Aguarde que por dentro já estou Ceciliando idéias para o post...
Um abraço e boa quinta...

Dilberto disse...

Realmente os poetas são eternos... E descreveste muito bem a sensação de ler jogosde palavras tão ricos em métricas e melodia como os de Cecília: "montanha-russa"! Excelente! E bendita D. Iracema, não? O Brasil deveria ter mais delas...

Sobre os blogues participantes: uma pena teres me visitado quando eu ainda não havia publicado nos Morcegos... Infelizmente, você não comentou o post com o qual participei da blogagem coletiva... Realmente uma pena!

EternaApaixonada disse...

*****

Amiga Leonor,

Você consegue surpreender!Que post!
Só posso agradecer ter feito parte deste momento e cá estar a acompanhar um dos meus blogs favoritos!

Beijos e ótima quinta!


*****

Ana Carolina Braga disse...

Quanta emoção! Certamente Cecília merece todo este carinho e admiração de todos nós!

Leonor, mais uma vez, agradeço a sua visita e seus comentários! Obrigada! =)

Beijos!

Ah, você já está melhor de saúde?

vitoria disse...

Obrigada pelo carinho Leonor...já estou em casa.
um abraço amigo :)

caurosa disse...

Minha querida Leonor, foi com grande prazer que participei da homenagem coletiva. Entrei em contato com poemas lindos, emocionantes e até textos fantásticos da nossa imortal Cecília Meireles. Parabéns e obrigado, muita luz, paz e harmonia para você.

Forte abraço

CAUROSA - caurosa.wordpress.com

Leonor Cordeiro disse...

Elcio,
Estarei esperando a sua postagem.
Grande abraço!



Diberto,
Acabei de ler o seu comentário.
Me perdoe, pensei ter passado em todos os endereços. Em nenhuma hipótese ficarei sem ler a sua postagem.
Vou imediatamente visitar o seu blog.
Foi um desencontro que não poderia ter acontecido. Mais uma vez, me perdoe.
ABS!


Helô,
Obrigada por seu apoio e carinho.
Mil beijinhos !


Ana Carolina,
Estou melhorando, obrigada por sua atenção e carinho.
Fiquei muito feliz por ter conhecido você.
Sempre visitarei o seu blog. Vamos continuar nos encontrando .
Mil beijinhos!


Vitória,
Que bom saber que você já está em sua casa e os exames mostraram que tudo está bem .
Estarei sempre aqui na torcida.
Muita saúde e paz !
Um caminhão carregadinho de abraços e beijinhos para você!


Carlos,
Estou muito feliz com essa blogagem.
Obrigada mais uma vez por sua participação.
Grande abraço!

betty mello disse...

Um pouquinho atrasada....mas sempre "em tempo ": Quantas vezes conversei em sonho(de olhos abertos) com Cecília...mas nunca lhe revelei estes "segredos" por acreditar que ela me ouvia , entendia e partilhava estes momentos tão doces e mágicos.Ler esta carta me fez reavivar estes momentos esquecidos na infancia-adolescência, e sou muito grata pela emoção que senti e pela lágrimas que me escaparam...de felicidade tão se chora, não chora ? Leonor muitíssimo obrigada pela oportunidade de participar e me enriquecer com esta blogagem tão maravilhosa. UM beijo carinhoso, Betty