16 de jan de 2009

A missão das folhas

.
.
A missão das folhas
.
Naquela tarde quebrada
contra o meu ouvido atento
eu soube que a missão das folhas
é definir o vento
.
Ruy Belo
.

23 comentários:

Aparecida Ferreira disse...

Em reconhecimento ao valor de seu blog e em agradecimento pelas maravilhas que leio aqui, deixo para você um selinho em meu blog: http://professora aparecida.blogspot.com

Com carinho,
Aparecida

Elcio Tuiribepi disse...

EU, FOLHA

ÀS VEZES QUERO SER FOLHA
PRA SER LEVADO PELO VENTO
SEM DESTINO, COLHENDO PAISAGENS
NUM BALANÇO SUAVE E SERENO
ATÉ POUSAR NUM RIO
E SEGUIR SEM PRESSA
AO ENCONTRO DO MAR

ELCIO TUIRIBEPI

Ah...não resisti...rs...bom fim de semana...um abraço na alma

Sabrina Davanzo disse...

Lindo, Leonor!

Antonio Garcia Barreto disse...

Ruy Belo é um extraordinário poeta, muito próximo do quotidiano das pessoas. Veja aqui, Leonor:

Raça de marinheiros, que outra coisa vos chamar,
senhoras que com tanta dignidade
à hora que o calor mais apertar
coroadas de graça e majestade
entrais pela água dentro e fazeis chichi no mar?


(in "Homem de Palavra(s)"

Dalva M. Ferreira disse...

Bonito!

Andrea Guim disse...

Oi, Leonor!!!
Bem vinda ao Blog'Arte!!! Infelismente não sou de BH, mas do RJ (e seu calor louco!) Vou adorar que você divulgue meus quadros!!! Eu e marido temos ateliê aqui no Rio - escultura e pintura, mas quem dá aula de pintura é um amigo nosso...
A gente vai conversando!!!
Beijins!
Andrea Guim

Chris disse...

Lindo Lindo !!! Amei esses versos querida, a um tempinho que não o lia, e me fez bem ler.

Bjs querida

Anônimo disse...

Há poucos meses encontrei o seu blog por acaso e fiquei 'fan'.Venho com frequência ver o que 'postou'.E como o tema é folhas, poesia, poeta português...refiro aqui outro bastante importante e com temática variada: ANTÓNIO GEDEÃO (na verdade, prof. Romulo de Carvalho).
'Não há, não,
duas folhas iguais em toda a criação.
(...)
Umas vão e caem no charco cinzento,
e lançam apelos nas ondas que fazem;
outras vão e jazem
sem mais movimento.(...)'

-Antonio Gedeão; 'Poesias completas, 1956 - 1967'

Hercília Fernandes disse...

"...a missão das folhas é definir o vento".

Lindo. Extremamente poético!

Obrigada, Leonor, pela leitura.

Beijos,

H.F.

Flor ♥ disse...

Um delicioso poema de Ruy Belo é sempre uma ótima escolha! Um beijo!

Flor ♥

DILERMArtins disse...

Lindo, excelente escolha...Parabéns!

Luana disse...

Belíssimo Blog!

Nathália disse...

Sou antenada em poesia (não por acaso, trabalho como assistente editorial do poeta Ulisses Tavares, conhece?), visitei seu blog e gostei muito.

Olha, se puder, dá um toque para seus blogueiros e amigos olharem o site que gerencio:

www.ulissestavares.com.br

Sempre tem poesia nova lá e os visitantes concorrem a um livro autografado toda semana.

Sem burocracia e sem despesa alguma. Basta clicar no site, enviar um e-mail e concorrer.

Grande beijo e continue no caminho da poesia que o mundo precisa disso,

Leonor Cordeiro disse...

Querida Aparecida,

Obrigada pelo carinho e atenção.Logo que voltar de viagem
postarei o selinho com alegria.
Grande abraço!!!

Leonor Cordeiro disse...

Para Elcio:

Querido poeta, não resista, deixe os seus versos fluirem livremente...
Graaaaaaaaaannnde abraço!

Leonor Cordeiro disse...

Para Sabrina:

Também adorei o poema !
Mil beijihos!!!

Leonor Cordeiro disse...

Para Sabrina:

Também adorei o poema !
Mil beijihos!!!

Leonor Cordeiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leonor Cordeiro disse...

Querida Dalva, um grande abraço para você !

Leonor Cordeiro disse...

Para Chris:
Bom encontrar você !
Mil beijinhos!!!

DILERMArtins disse...

Tem um selo pra você lá no Arteiro.

Leonor Cordeiro disse...

Para Antonio Garcia Barreto:

Fiquei muito feliz com a sua visita.
Confesso que me surpreendi com os poemas de Ruy Belo. Gostei muito!
Grande abraço!

Leonor Cordeiro disse...

Para Dilermano:

Obrigada pelo carinho e atenção.
Logo que terminar minha viagem farei a postagem com o maior prazer.
Obrigada por suas visitas e seus comentários sempre amáveis.
Grande abraço!