8 de abr de 2009

Às vezes

(Modigliani)
.
.
Às vezes julgo ver nos meus olhos
A promessa de outros seres
Que eu podia ter sido,
Se a vida tivesse sido outra.
.
Mas dessa fabulosa descoberta
Só me vem o terror e a mágoa
De me sentir sem forma, vaga e incerta
Como a água.
.
Sophia de Mello Breyner Andresen
.

7 comentários:

Dalva M. Ferreira disse...

Que lindo, Leonor! queria tê-lo escrito...

Lou disse...

Leonor,

Belíssimo poema! Não conhecia e fiquei encantada.

Abraços,
Lou

Júlia disse...

Perfeito para o meu dia de hoje!!
amei...bjs!!!

Judô e Poesia disse...

O poema é lindo! O blog é lindo! E você é muito bonita também! Este é um blog para visitar sempre. beijos. Domingos.

Miriam Salles disse...

Amiga querida,
lindo!
saudade de vc e de nossas conversas!
bjos

MARCOS LEITE(POETA D'ALMA) disse...

Olá,suas palavras são muitos significativas...

Estou sendo seu seguidor...

http://poetamarcosleite.blogspot.com

Espero sua visita!

luzdeluma disse...

Mais um poema lindo de Sophia!!

Feliz páscoa! Beijus