14 de abr de 2009

Quintana...

.
"...Não é que esteja bancando o modesto. Eu já disse uma vez que a modéstia é a vaidade escondida atrás da porta... Eu não sou modesto, sou isento de tudo. Se alguém me julga "genial", eu penso: está exagerando. Se alguém não me aceita, me escracha, eu acho que é burro. Fico sereno comigo. Isso me faz lembrar os versos de Cecília Meireles, que para mim é a maior poeta brasileira desta metade do século:
.
Eu canto porque o momento existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
Sou poeta

..
.
(Do livro de Giovanni Ricciardi: Auto-retratos)

4 comentários:

Lou disse...

Simples assim. rsrs Belezura de post!

Abraços,
Lou

Bete disse...

Passei para me deliciar nessa Dança.
Bjs no coração

Cosmunicando disse...

Cecília disse tudo aí... muito bom!
bjos

Maria disse...

PRAZER

Que prazer é este estacionado em tua mente,
Que me deixa fincada nessa gazua,
gelada
silenciosa.

OBRIGADA POR PODER ESTAR AQUI