3 de mai de 2009

O céu possível

.
A loja de doces era do outro lado da rua. Bolinhos pequenos, secos, revestidos a amêndoas, recheados de mel. Acompanhavam-se com chá de menta. Um odor refinado, fumegante, de tom azul, filtrado por uma luz difusa, sugere um interior. Misturam-se odores, cores e sabores. A loja de doces é o céu possível, num canto da terra..


.
.

4 comentários:

Dalva M. Ferreira disse...

Adoro as reminiscências que nos vêm com certos odores... Podemos viajar no tempo.

Sonia Regly disse...

doro uma loja de coces, se tem acúcar estou dentro.Adorei esse texto,nos tras doces recordações.O endereço do Compartilhando é:

www.compartilhandoasletras.com

Renata de Aragão Lopes disse...

"A loja de doces é o céu possível, num canto da terra." Lindo!

E que coincidência, não? Exatamente hoje, domingo em que conheceu meu blog Doce de lira.

Obrigada pelas palavras tão amáveis, Leonor! Acompanharei, igualmente, os seus cantinhos virtuais. Outro abraço.

Leonor Cordeiro disse...

Dalva,
Também adoro reminiscências.
Achei lindo esse texto do José António Barreiros. Ele tem vários blogs, "A POSTA RESTANTE" é especial para mim por causa das reminiscências...
bjs!

Sônia,
Anotei o seu novo endereço.Farei a mudança aqui no blog.
bjs!

Renata,
rsrsrsrsrs...É verdade, foi um dia
regado por doces encontros e reminiscências.
bjs!