13 de fev de 2010

Meus amigos blogueiros e as suas palavras...

.
Faz tanto tempo que dói ...
.
.
.
"Sou pequeno hoje como então, no meu passado morto."
José Carlos Mendes Brandão
.
O lampião da minha infância brilha e faz sombra
na mesa da cozinha, nas paredes, nas telhas altas
e no infinito, nos mistérios da noite e de Deus.
Sou pequeno hoje como então, no meu passado morto.
.

4 comentários:

José Carlos Mendes Brandão disse...

Fiquei bem na fita.
Pois é: ficou bonita
a sua postagem
como uma paisagem
suave, delicada.

Gostei da divulgação. Obrigado.
Beijos.

evandro mezadri disse...

Muito bela a poesia, grande trabalho.
Abraço e muito sucesso!

angela disse...

Ah este lugar do desamparo! A gente é sempre pequeno lá.
beijo

Assis Freitas disse...

Tudo é passado, o presente é por demais fugaz. Abraço.