28 de mar de 2008

Qual é o seu estilo?

.
.
O blog 28 dias convidou suas leitoras para escreverem sobre alguns assuntos. Para incentivar e gentilmente agradecer as participações, distribuiu vários prêmios.
O critério da escolha : "vamos premiar as 10 participantes cujos depoimentos forem mais sinceros, completos e que abram mais questões para a discussão" .
A pergunta dessa semana foi: QUAL É O SEU ESTILO ? Resolvi participar, o resultado acabou de sair e as três ganhadoras já foram escolhidas, você pode visitar aquele espaço e conhecer os depoimentos .
O próximo tema já foi lançado, que tal fazer a sua inscrição e participar ?
Como não fui contemplada, vou compartilhar com vocês o meu texto:
.
.
.
..
Qual é o seu estilo?
..

Nasci num tempo onde tudo precisava ser arrumado, compartimentado, organizado, como uma impecável gaveta de meias. Homem se comporta assim, mulher se comporta assim.
Comecei a bagunçar as gavetas quando não consegui ser boa aprendiz de moça na minha adolescência. Falava alto e demais. Andava de bicicleta, quando não mais devia. Chorava quando queria, não escolhendo hora ou lugar. Não tinha os cabelos da moda - longos e lisos. Tinha piano em casa, mas tocava pouco. Sabia cozinhar, mas engordava. Mesmo assim não fugi a regra e tive um enxoval completo como todas as meninas da região: lençóis de puro algodão, toalhas da Ilha da Madeira, joguinhos de crochê, 3 cobertores dupla face, camisolas brancas, 12 jogos de cozinha, 88 panos de prato todos marcados com "L", 9 colchas de casal, toalhas de banho e de rosto e 4 naftalinas para espantar as baratas.
Mesmo assim noivei cedo e para o espanto de todos, terminei cedo o noivado e saí pelo mundo querendo aprender a ser gente.
Aprendi que era única e muitas, que a vida é feita durante a caminhada, que mudamos e morremos várias vezes, trocamos de pele, rompemos casulos, e até nos surpreendemos tentando aprender a voar.
Nunca gostei dessa busca pelo estilo. Parecia as velhas gavetas, os compartimentos impecáveis, com uma nova roupagem, mas com a mesma ditadura, agora, globalizada. A roupa da jovem de Piracicaba é a mesma da jovem de Viena. A boneca da minha menina é a mesma da menina de Roma. Gostamos das mesmas músicas, do mesmo corte de cabelo, dos mesmos filmes, das mesmas griffes e, o que é pior, começamos a desejar os mesmos desejos e a sonhar os mesmos sonhos.
Mas o nosso estilo não deve ser determinado pela ditadura de uma indústria cultural que dita as regras e as leis de acordo com os seus interesses, massificando a todos de forma tão sutil, que a maioria tem a sensação de que vive numa época de total liberdade de escolha.
Centenas de manuais nos estimulam diariamente a buscar um estilo. Alguns divulgam que a observação cuidadosa de pessoas chiques e estilosas ajudam esse nosso aprendizado. Me poupe!
Devemos ter o nosso estilo, mas de vida, esse não pode ser copiado ou comprado numa rua badalada, não anda em passarelas, não está nas revistas. Meu estilo sou eu. A maneira como ando, falo, brinco, brigo, choro, me visto, decoro a minha casa, deve refletir quem eu sou.
Chique é tentar conviver com as minhas várias pessoas, chique é tentar entender a minha maneira de estar no mundo. Chique é conseguir sonhar e desejar com o meu próprio coração. Ter estilo ? É tentar assinar a minha história. Com 53 anos de praia eu confesso – ainda uso caderno de caligrafia...
.
Leonor Cordeiro
..

6 comentários:

Roseane, disse...

Gostei do teu depoimento e te conheci um pouco mais. Bom final de semana!!!

Madalena Barranco disse...

Leonor, bom domingo!!! Que delícia ler um texto com tanto estilo e charme como o seu logo cedo! Ah, não vi os ganhadores, mas com certeza o seu deveria estar lá, porque o verdadeiro estilo é aquele que reflete nossa eterna chama acesa.
E você, mostrou sua elegância natural. Beijos - estou adorando conhecer aos poucos seus outros blogs recheados de coisas boas!!! Com carinho, Madá.

Jenny Horta disse...

Chique mesmo sou eu! Porque chique é ter uma amiga como a Leonor!!!

Maria Augusta disse...

Leonor, você tem razão, ter estilo é assumir sua própria personalidade, não adotar esta mesmice globalizada.
Teu blog é delicioso.
Beijos.

Leonor Cordeiro disse...

Roseane:
Que bom Roseane.
Que os nossos encontros abram caminho para uma longa amizade!
BJS!!!

Madalena:
Você sempre generosa com as amigas.
Obrigada mais uma vez pelo carinho.
Mil beijinhos!!!!

Jenny:
Minha eterna amiga secreta ...

Maria Augusta:
Essa tendência constante para a globalização, resulta numa verdadeira ditadura da mesmice...
BJS!!!

Dalva M. Ferreira disse...

Isso é o que eu chamo de "o enxoval", barrabás!!! Ainda bem que você conseguiu sair do roteiro.