11 de mai de 2008

Minha mãe ...

.
.
Minha mãe pescando no Rio Verde em 1950...
.
.
ORFANDADE
.
Meu Deus,
me dá cinco anos.
Me dá um pé de fedegoso com formiga preta,
me dá um Natal e sua véspera,
o ressonar das pessoas no quartinho.
Me dá a negrinha Fia pra eu brincar,
me dá uma noite pra eu dormir com minha mãe.
Me dá minha mãe, alegria sã e medo remediável,
me dá a mão, me cura de ser grande,
ó meu Deus, meu pai,
meu pai.
.
Adélia Prado , Bagagem. Editora Guanabara, p. 22
.
.

2 comentários:

Madalena Barranco disse...

Leonor, querida, adorei a foto de sua mãe com a natureza ao fundo! E o poema da Adélia Prado combinou muito bem. Beijos.

Leonor Cordeiro disse...

Madalena,
Meus pais adoravam fotografia, guardo todas elas com o maior carinho.
Gosto demais da Adélia !
Mil beijinhos!!!