10 de out de 2008

Chegou o novo livro do poeta ANTÔNIO LÁZARO DE ALMEIDA PRADO!

No amanhecer do dia em que será repartida com todos a esmeralda da poesia de Antonio Lázaro, os pássaros da floresta cantarão o nome do poeta pelo que bem que a sua arte faz à beleza da vida.
(Thiago de Mello)

.



Quando foi entrevistado na comunidade Discutindo Literatura, Antônio Lázaro de Almeida Prado falou sobre a poesia:
..
.
A poesia foi sempre e será sempre companheira inseparável dos homens, porque é o canal mais adequado que permite condividir através de palavras os movimentos mais caracteristicamente humanos: emoções, solidariedade, ânsias, anseios e temores. Daí o caráter essencialmente unitivo, vale dizer articulador, da arte literária.
.
ooo
.
Penso que a melhor visão sobre o fazer poético foi definido por Giambattista Vico. Segundo ele todas as crianças, vale dizer, todos os seres têm naturalmente vocação poética. A isso acrescento que de todas as artes a mais fundamentalmente humana é a arte da palavra, que requer, para fazê-la ou recebê-la, o exercício empenhado das melhores virtualidades humanas. Com isso, a poesia participa e requer inspiração, construção: aquela e esta imprescindíveis. Não há poesia que se faça pelo facilitário e é ela sempre fruto de um lúcido ajuste de emoções e palavras.
.
ooo
.
A meu ver sempre precisamos da poesia, que por sua essência generosamente busca o universal. Tinha razão Francesco Flora que reagindo ao particularismo fascista afirmou: ¨Dante não é grande apenas por ser italiano, mas porque, italiano, soube falar uma linguagem universal¨. Acredito, aliás na companhia de muitos outros poetas, que nosso atual desafio é ultrapassar as barreiras do ¨universo solitário¨e buscarmos o ¨universo solidário¨.
.
ooo
.
Penso que a poesia não se esgota em limites temporais e espaciais. Os poetas sempre se sentirão solidários com as lições do passado mas sempre empenhados em aceitar os desafios do presente. Assim quando Mário de Andrade dizia: ¨Brasileiros, chegou a hora de realizar o Brasil¨ nada mais fez do que dizer que, embora buscando sempre o universal, sempre nos sentiremos radicados em nossa própria cultura. Cassiano Ricardo se definiu como ¨Sou local pelos pés/ Pássaro universal pelo pensamento.¨
.
.
Nesse sábado, a Casa das Rosas abre as suas portas para receber o querido poeta Antônio Lázaro e o seu novo livro LÚCIDO SONHO. Um programa imperdível para quem mora em São Paulo ou região .
.
.

.
.
.
AVE, PALAVRA...
.
Veludo, arminho, bálsamo
Na pura voz de um pássaro
Na vez de um puro amor.
Sorriso, amplexo, abraço
Ternura, mel, afeto
E à tenra luz da aurora.
Encontro, ajuste, acordo
A perfeição do arco-íris
Na integração da ponte.
A voz em pleno apelo
O amor como resposta
No sim de um gesto amigo.
E tudo em convergência
No encontro da ternura
E a perfeição de um beijo.
.
.
.
AGORA É A HORA...
..
Ah! se eu pudesse impregnar meu canto
Só de ternura, em rimas convertida,
Unia em sons à tua a minha vida,
De tua graça faria o meu encanto;
Ah! se a canção lograsse tornar brando
Meu coração, rebelde e empedernido,
Qual barco, conturbado e sacudido,
Ao porto da alegria ia aportando.
Na comunhão fraterna do poema
Tornara um só o universal desejo
E amar seria a força de meu lema.
Ah! puro som, harmonizada aurora,
Horizonte de luz, só para o beijo,
Converte-se em alegria agora, agora...
.
.
.
Para adquirir LÚCIDO SONHO basta você enviar um e-mail para Fernanda de Almeida Prado ( feraprado@gmail.com ), o livro logo estará em suas mãos.
.

.

Dia: 11 de outubro

Horário: 17h às 20h

Local: Casa das Rosas - Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura

Av. Paulista , 37 - São Paulo

Nenhum comentário: