9 de fev de 2009

Observando

Vladimir Kush
.

Observando
.
sim

as horas de trégua
Quando se afiam
as facas
.
.
Eunice Arruda
De Os Momentos (1981)
.

6 comentários:

Evelyne Furtado disse...

Uma trégua estranha em criativos versos. Beijos, amiga.

Sabrina Davanzo disse...

trégua nem sempre é sinal de paz.
Lindo o novo layout, Leonor!

Um beijo, boa semana!

Tina disse...

Oi Leonor!

Wow! Forte isso.(e verdadeiro)

beijos querida, boa semana.

Gabriella Santos disse...

Queerida!!!
Onde anda você e seus comentários nop Horizonte Máximo.
Estou sentindo falta deles.
Beijos espero sua visitinha.
Bom início de semana.

Zé Carlos disse...

Perfeita estas palavras.
Beijão Leonor, um lindo dia para ti.
Zé Carlos

Dois Rios disse...

Querida Leonor,

Gosto tanto desses versos da Eunice Arruda que os tenho nos rascunhos do meu blog para uma futura postagem.

Quando a mágoa/raiva se mascaram de trégua há uma ampla iminência de corte.

Beijo,
Inês