10 de mar de 2009

.

.
.
Há um instante em que a memória é estreita
para conter o mar, o sal, os navios,
a penumbra branca das gaivotas.
Um instante de nudez perfeita.
.
Albano Martins

Pintura de José Pancetti : Saquarema
.

4 comentários:

Su disse...

Há momentos que só o mar é capaz de entender o que se passa em nós!! =)

Beijos, querida!

Cristiane disse...

Mar, imensidão, palavras e poesia...
Sempre bom vir aqui, um lindo fimde semana para você!

acqua disse...

O mar é o que nos permite um olhar para nós mesmos. não acha?
BOm dia carissima, desculpe a minha ausência, mas estive navegando (justamente)em outros mares...
Beijos meus daqui

Ps. Se estiveres em São Paulo no dia 30 de março, tenho um convite para você.

Úrsula Avner disse...

Lindo poema que voce postou cara escritora ! Achei seu blog um mimo ! Bom te conhecer ainda que virtualmente. Escrevo poesias e estou pesquisando blogs afins. Amei conhecer o seu cantinho ! Quando puder faça-me uma visita. Bjs.