5 de mai de 2009

João Villaret e os poemas de Alberto Caeiro...

4 comentários:

Dalva M. Ferreira disse...

Que lindo, Leonor! Assim lido com o sotaque da terrinha, fica ainda mais saboroso. Um abraço !

Leonor Cordeiro disse...

Querida Dalva,
Concordo com você, o sotaque da terrinha enriquece a interpretação do poema.
Mil beijinhos!!!

manuel marques disse...

Linda escolha,gratopela partilha.

"O amor é um rio onde as águas de dois ribeiros se misturam sem se confundir "

Abraço querida amiga.

Sônia Brandão disse...

Bela escolha. Muito bom de se ouvir.
Beijo.