18 de mai de 2009

Meninos

Portinari - Menino triste -Óleo s/ papel. Série Meninos de Brodosqui

.
MENINOS
.
Sentado à soleira da porta
Menino triste
Que nunca leu Júlio Verne
Menino que não joga bilboquê
Menino das brotoejas e da tosse eterna
.
Contempla o menino rico na varanda
Rodando na bicicleta
O mar autônono sem fim
.
É triste a luta das classes.
.
Murilo Mendes
(Poesia Completa e Prosa. Editora Nova Aguilar, p. 174)

19 comentários:

manuel marques disse...

É preciso acreditar num novo dia, na nossa grande geração perdida, nos meninos e meninas.

Abraço.

angela disse...

É triste existir classes, e mais triste ainda quando não há luta.
Ficou muito bom o poema e a pintura de Portinari.

Mari Amorim disse...

Olá !
Que lindo!

Estou participando da blogagem coletiva em defesa da infância,diga não a erotização infantil,seu cométario,é muito importante,e sua visita um prazer,
um beijo
Mari

José Carlos Brandão disse...

Como são tristes os meninos, quando estão do outro lado da felicidade.

Abraços.

REGGINA MOON disse...

Leonor,

Maravilhoso seu Blog!Parabéns!
O descobri em minhas andanças poéticas...que beleza!

Beijos,

Reggina Moon
www.versoeprosa.blogspot.com

Tina disse...

Oi Leonor!

É verdade. Dura e triste realidade.

Um dia vai mudar, tenho fé.

beijos e boa semana,

Renata de Aragão Lopes disse...

Gostaria de sonhar
um futuro diferente...

Fernanda disse...

Ler isso e lembrar de como estão nossos meninos no Brasil me da uma dorzinha no coração..

Franz disse...

Oi,Leonor. Sempre é bom receber sua visita.
Heheee... Aquele nosso passeio foi D+! Precisamos neste ano fazer outro, e mal posso esperar pelo Amigo Oculto (Uau! Já pensando no Natal?! KKkkkkkkk!!!!!)
Bjs.

Conceição Xavier disse...

Venho aqui muitas vezes visitar o seu 'blog'.
Hoje apeteceu-me dizer qq coisa, por isso deixo um poema do poeta moçambicano Carlos Zimba, q na minha opinião complementa o 'post':
"No meu país
a (in)competência doentia
mutila-nos o sorriso
e nós teimosamente
arranjamos muletas e sorrisos
deitados à sombra da esperança
esculpida pela nossa paciência.
Coragem, gente
pois galopa célere o instante
em que sorriremos sem muletas!"

Ane disse...

Que voltar por aqui!Um abraço pra vc!

Leonor Cordeiro disse...

Querida Ane,

Acabei de passar pelo seu blog e fiquei conhecendo o Pico do Cabuji.
Com a bela serra banhada pela chuva, quase foi possível sentir o cheirinho da terra molhada...

bjs!

Leonor Cordeiro disse...

Oi Manuel !
Acreditar ... Será ?


Angela,
Diferenças sempre vão existir, o problema é que na maioria das vezes a desigualdede é desumana e cruel.


Mari,
É uma blogagem muito importante, precisava ter aderido.Vou passar e deixar um comentário.

Leonor Cordeiro disse...

José Carlos,

Estar no "outro lado" é muito pesado para todos nós ...

Leonor Cordeiro disse...

Querida Tina,

Acabei de visitar o seu blog e fiquei sabendo das duas comemorações tão especiais.

VIVA!!! VIVA!! VIVA!!! VIVA!! Quatro vivas para o BLUE MOON nesse novo ano que agora começa !
Quatro mil beijinhos para você !!!

Leonor Cordeiro disse...

Renata e Fernanda,
Parar de contemplar o "outro", deve ser um dos sonhos do menino triste...
bjs!

Leonor Cordeiro disse...

Franz,

Ainda não estou pensando no Natal, apenas recordando a brincadeira tão agradável do Amigo Secreto.
Graannde abraço!

Leonor Cordeiro disse...

Querida Conceição,
O poema do poeta moçambicano Carlos Zimbaque que você escolheu foi um verdadeiro presente.
Muitíssimo obrigada por suas visitas.
bjs!

Leonor Cordeiro disse...

Ane,

Obrigada pelo carinho.
bjs!