18 de out de 2009

Andrew Wyeth
.


O ofício da vida é um enriquecimento contínuo, desde que saibamos guardar-lhe as imagens e emoções no nosso mundo de reminiscências, com a inteção de fruí-las nos momentos apropriados. Para tornar ao passado, no devaneio desses momentos, não é preciso dar as costas ao presente: o dia de ontem é que reflui ao dia de hoje, trazido por uma fulguração de lembranças, e daí, nessas ocasiões, o sabor da dupla vida - a de agora e a de outrora, harmonizadas na captação do tempo perdido.
.
Josué Montello - Diário Completo (VolumeI), p. 1254


.

4 comentários:

angela disse...

Quando o passado pode integrar o presente a lembrança é enriquecedora.
É sempre um prazer vir aqui
beojos

Dalva M. Ferreira disse...

Que lindo, Leonor!

José Carlos Brandão disse...

O tempo a Deus pertence.
Não tem passado nem futuro,
mas o presente de Deus,
esse ensaio para a eternidade, amém.

Beijo.

manuel marques disse...

As ideias de ontem fazem os costumes de amanhã .

Beijo.