6 de abr de 2010

Serenata sintética

. .
.


.

Rua
Torta

.

Lua
Morta

.

Tua
Porta

.

(Cassiano Ricardo )

.


.

5 comentários:

José Carlos Brandão disse...

Às vezes um poema é tão simples, além de tão condensado, que a gente nem acredita.
Abraços, Leonor.

Dalva Maria Ferreira disse...

Superconcordo!

angela disse...

Um poema enxuto sem muitas palavras e diz a que veio.
beijos

manuel marques disse...

Singelo , directo, lindo.

Beijo.

Gisela Rosa disse...

belíssimo esse novo visual do seu espaço e que linda esta Serenata!


beijo