25 de ago de 2010

Meus amigos blogueiros e as suas palavras...


.

Poema em resposta as intempéries do vento


.

.
Na terceira ordem do dia tu me disseste:
Vai, Assis, cumprir teus poemas em letargia
Eu pus palavras na algibeira e forjei um alforje
.
Carregado de metalinguagem,
De girassóis e silêncio
De muitas repetições necessárias
.
Para que o verso sempre soe diferente

.

Assis Freitas

6 comentários:

Assis Freitas disse...

Em meio a tantos poetas que habitam o teu blog, e poetas da mais pura estirpe, ver meu poema aqui me enche a alma. Meus sinceros agradecimentos,


abraços

Ingrid disse...

merecido!..
meu abraço.

angela disse...

Poema bonito, escorrega macio nas palavras que formam versos.
Gostei
beijos

Mirze Souza disse...

Leonor!

Mais que merecido, Assis é "O POETA" dos nossos dias.

Parabéns pela escolha!

Beijos

Mirze

Luiza Maciel Nogueira disse...

ele é demais não é mesmo?

um poeta e tanto!

beijo

nydia bonetti disse...

que dizer da poesia de assis... prefiro sentir. :) beijo!