24 de ago de 2010

A um passarinho

. .
.
.
.

Para que vieste
Na minha janela
Meter o nariz?
Se foi por um verso
Não sou mais poeta
Ando tão feliz!
Se é para uma prosa
Não sou Anchieta
Nem venho de Assis .
.

. Deixe-te de histórias
Some-te daqui!
.

. Vinicius de Moraes
.
in Poesia Completa e Prosa, Editora Nova Aguilar, Rio de Janeiro,1986, p. 201
.

7 comentários:

Ingrid disse...

e viva Vinícius!!!!.
um beijo.

Taninha Nascimento disse...

Lindo, lindo...

angela disse...

Linda foto e Vinicius sempre uma delicia, até quando é malcriado.
beijos

manuel marques disse...

E voa ,voa,voa...

Beijinho.

Lúcia Soares disse...

Oi, Leonor.
Chego e me deparo com ninguém menos que o Poetinha. Muito linda a poesia.
Prazer em conhecer você! Depois venho ler mais.
Obrigada pelo carinho.
Beijos

Gêh disse...

Lindo de mais!!!

Gilsa Elaine disse...

Como sempre, Vinícius. Sempre reflito sobre essa condição infeliz de ser poeta. Em Vinícius, parece uma ironia, pois ele faz poesia como essa, num momento único de felicidade e reflexão. Não é lindo?
Um forte abraço, Leonor.