29 de mar de 2011

O Poema

. .
. Que será o poema,

essa estranha trama

de penumbra e flama

que a boca blasfema?

.

Que será, se há lama

no que escreve a pena

ou lhe aflora à cena

o excesso de um drama?

.

Que será o poema:

uma voz que clama?

Uma luz que emana?

Ou a dor que algema?

.

Ivan Junqueira

( A Sagração dos Ossos)

7 comentários:

Glorinha L de Lion disse...

O poema, creio, é isso tudo e mais umas tantas outras, indescritíveis e inexplicáveis....beijos,

Ingrid disse...

que escolha feliz querida..
é poema em poesia..
beijos

Dalva Maria Ferreira disse...

Que bonito!

Suzana Martins disse...

Sei que o poema lhe trouxe de volta!!!

Saudades de ti!!

Beijos

Chellot disse...

Que será o poema? Tudo o que a imaginação e os sentimentos criarem. Gostei muito de sua poesia.
Beijos doces.

Assis Freitas disse...

o poema é sempre uma bela interrogação,


beijo

Gilsa Elaine disse...

O poema é essa magia das palavras. Não basta lê-lo, tem que sentí-lo e, sentindo-o, é preciso decifrá-lo e, decifrando-o, cai-se na imensidão de si mesmo e se torna necessário voltar a ela para se reencontrar.
Belo poema!
Um abraço!