4 de out de 2011

Trecho de Café Expresso

Anita Malfatti - O violeiro e a daminha no engenho
.


A minha xícara de café é o resumo de todas as coisas que vi na fazenda e me vêm à memória apagada... Na minha memória anda um carro de bois a bater as porteiras da estrada... Na minha memória pousou um pinhé gritando: crapinhé! E passam uns homens que levam às costas jacás multicores com grãos de café. E piscam lá dentro, no fundo de meu coração, uns olhos negros de cabocla a olhar para mim com seu vestido de alecrim e pés no chão. E uma casinha cor de luar na tarde roxo-rosa... Um cuitelinho verde sussurrando enfiando o bico na catléia cor de sol que floriu no portão... E os fazendeiros, calculando a safra do espigão..."

.

Cassiano Ricardo, Café Expresso

2 comentários:

manuel marques disse...

texto muito bonito.

Beijo.

elvira carvalho disse...

Assim se entende porque o café é tão gostoso.
Um abraço