13 de mai de 2008

(Continuando com Fernando Pessoa ...)

.

.
[163]
TUDO QUE FAÇO ou medito
Fica sempre na metade.
Querendo, quero o infinito.
Fazendo, nada é verdade.
.
Que nojo de mim me fica
Ao olhar para o que faço!
Minha alma é lúcida e rica,
E eu sou um mar de sargaço -
.
Um mar onde bóiam lentos
Fragmentos de um mar de além...
Vontades ou pensamentos?
Não o sei e sei-o bem.
.
Fernando Pessoa, Cancioneiro. Poesia Completa, Editora Nova Aguilar, p. 172
.
.
Fotografia : Jon Sullivan

4 comentários:

Roseane, disse...

Lindo!! Leonor, querida, se você encontrar a goma aí, talvez nem precise molhar. Em Brasília a gente comprava no ponto certo. Mas essa daqui é seca demais, então molhamos, depois vamos acrescentando mais o pó até dá o ponto certo. É preciso ver o índice glicêmico da goma, sem recheio e com recheio, assim como da macaxeira ou aimpim ou mandioca. Faz tempo que não vejo isso, mas vou ver se encontro o índice por aqui e te aviso, ok? Bjks

Meire disse...

Leo, passando para deixar um beijinho.

Luma disse...

hehehe Gostei! Tudo o que faço ou medito fica sempre na metade!! Igualzinho alguém que conheço! É menina, estou sumida sim!! cai no lugar comum da maioria dos blogueiros: sem tempo, sem tempo! Mas vim te deixar um beijuzinho!!

Leonor Cordeiro disse...

Roseane,
Vou tentar encontrar os ingredientes no mercado da cidade.
Quando fizer a receita conto "tudinho" para você ...(rsrs)
Vamos ver se eu acerto!
bjs!

Meire,
Estou feliz com a sua recuperação.
Mil beijinhos!!!

Luma,
Por favor, não fique sem tempo.Blogueira sem tempo deixa todo mundo com saudade...
Adorei o beijuzinho !!!!