28 de set de 2010

Vigília

Gustave Doré
.
.
.
.
Ardem
sombras
no ocaso

pedras
moem
sonhos
.
céus
abatem
quixotes
.
(sonho
sombrio
.
que a vida
abrevia)

ardem
sombras
no ocaso
.
Marco Lucchesi
.

9 comentários:

Suzana Martins disse...

Saudade dos versos expostos aqui!!!

Beijos

Digho disse...

Encantadora.!! gostei do aspecto clean que seu blog tem.Sucesso.

angela disse...

A destruição dos sonhos não permite o descanso.
Bonito poema e as palavras bem usadas.
beijos

Assis Freitas disse...

e por falar em Vígilia, temos um belo retorno,


beijo

manuel marques disse...

Não há dor que o sono não consiga vencer ...

Bjos.

Ingrid disse...

falta de dançar com tuas palavras!
não demore tanto..
amei!.. beijos.

Poemas do Jorge Jacinto disse...

Muito bom seu espaço! Parabéns!
Abraços, Jorge Jacinto.

Ligéia Alone disse...

Muito bonito. Tipo de poesia direta e aberta. Gostei muito; do blog também.Voltarei para dançar.

Lidi Vieira disse...

PARABÉNS SEU BLOG É UM SONHO!!! seguindo e seeempre que possivel estarei por aqui fazendo uma visitinha! Beijos

www.lidivieira.blogspot.com